frases com 2 verbos em coreano

Como fazer frases com 2 verbos em coreano

Depois de aprender a montar frases básicas, muitos estudantes de coreano nos perguntam como fazer frases com 2 verbos em coreano. Normalmente esse tipo de pergunta se refere a frases como: eu quero fazer… eu gosto de fazer… eu estou fazendo… eu preciso fazer

Repare que em português esses exemplos na maioria das vezes trazem um verbo conjugado com um verbo no infinitivo (ou no gerúndio). Então o que acontece muitas vezes é que a pessoa pensa em português e traduz para o coreano usando a mesma lógica gramatical, e o resultao é mais ou menos esse: ela traduz palavra por palavra, e deixa o verbo no infinitivo.

Exemplo (aluno que tenta adivinhar): Eu gosto de dançar -> “eu gosto” é 저는 좋아해요 -> “dançar” é 춤추다. Ah, então tá fácil! Como a ordem no coreano é invertida, é só dizer 저는 춤추다 좋아해요. Acertei, 선생님?

Não, você não acertou. A regra número 1 de todo aluno de coreano deve ser: não tente adivinhar uma construção gramatical nova baseado no português, porque você vai errar em 90% das vezes. Quando estiver numa situação prática (numa viagem ou conversa com um coreano), foque em usar as ferramentas que você já aprendeu. Se não aprendeu isso, dê suas voltas, fale de forma mais simples, mas não invente com base em tradução literal.

Parece um conselho muito seco – e é. Mas é que essa é uma frustração grande dos estudantes e professores. Dos estudantes porque querem sair falando tudo o que pensam logo, e dos professores porque têm que corrigir todo dia frases traduzidas literalmente, e explicando mil vezes que não dá pra aprender coreano no chute assim.

Mas então, como é que a gente faz frases com 2 verbos? Bom, depende da frase, do verbo principal que você usa (gostar, querer, precisar, etc). Português e coreano são línguas muito distantes, então não vai ter lógica gramtical nenhuma. Inclusive vai ter casos em que você expressa a ideia de um verbo do português com um adjetivo do coreano (e vice-versa).

Isto dito, vamos pegar o exemplo do aluno adivinhão acima. Para dizer “eu gosto de dançar” em coreano, esse “dançar” tem que necessariamente ser um substantivo, não um verbo. Algo como “eu gosto de ‘dança'” ou “eu gosto de ‘dançamento'” (essa palavra inventei agora). É que “dança” seria apenas 춤. Mas dizer que gosta de 춤 pode dar a ideia que você gosta de assistir ou apenas apreciar dança. Então vamos pegar o verbo dançar, 춤추다, e substantivá-lo usando -는 것, ficando assim: 춤추는 것 (literalmente “coisa de dançar”). Agora já podemos montar a frase, usando o 춤추는 것 como objeto:

저는 춤추는 것을 좋아해요.
Eu gosto de dançar.

Você pode usar essa estrutura -는 것을 + 좋아하다 à vontade, e pode também usar com 싫어하다 (não gostar). Mas não pode fazer o mesmo com qualquer outro verbo que em português toma objetos da mesma forma que gostar.

Por exemplo, em português dizemos “eu quero dançar” (mesma estrutura, verbo + infinitivo), mas em coreano já é outra estrutura completamente diferente. Nesse caso temos que usar –고 싶다, que nem dá pra traduzir literalmente, porque 싶다 gramaticalmente é um adjetivo que só serve nessa estrutura fixa, pra dizer “quero fazer tal coisa”. Por isso vai ficar assim:

저는 춤추고 싶어요.
Eu quero dançar.

Essa estrutura é bem mais ampla, você pode usar com qualquer verbo (de ação) para dizer que quer fazer aquilo. Mas não pode usar com substantivos, como em português “eu quero sorvete”, porque não tem verbo nessa frase. Isso fica pra outra aula.

Mais um exemplo de frase com dois verbos: “eu preciso dançar” (só pra usar o mesmo verbo haha). Aqui é a mesma história: em português é uma estrutura igualzinha a “eu gosto…” e “eu quero…”, mas em coreano é um outro bicho, totalmente diferente. A estrutura coreana pra expressar essa ideia nem tem tradução literal: temos que usar V-아/어야 하다. Ou seja, você pega o verbo 춤추다 e o conjuga assim:

저는 춤춰야 해요.
Eu preciso (tenho que) dançar.

Repare que usamos 아야 ou 어야 dependendo da raiz do verbo (mesmo regra de -아/어요), e quando termina em ㅜ, ㅣ, ㅗ a gente junta numa sílaba só: 오다 (vir) -> 해요 / 치다 (bater/tocar) -> 해요 / 춤추다 (dançar) -> 해요.

Por fim, temos frases com dois verbos usando o gerúndio (estou dançando). Coreano nem tem gerúndio como forma do verbo, então nem preciso lembrar que vai ser outro bicho. Nesse caso, usamos a estrutura -고 있다. Fica assim:

저는 춤고 있어요.
Eu estou dançando.

Nesse caso, se você traduzir literalmente é até curioso. Ao dizer 춤추고 있어요, você diz literalmente “danço e estou”. Se parar pra pensar até faz sentido, não é mesmo?

Agora o aluno pessimista vai pensar: “Ai, que preguiça. Se tudo é tão diferente, vou ter que aprender uma estrutura nova sempre que quiser expressar algo novo?”. E minha resposta é: veja pelo lado positivo. Tem coisas do coreano que são mais complexas que no português (como essa), mas tem umas tantas outras que simplificam coisas que no português são complicadíssimas, como gênero, número, subjuntivo, tempos verbais complexos… tem coisas que no português você se matou para assimilar na quinta série, mas que em coreano você aprende em uma aula, de tão simples.

Então leve com naturalidade as estruturas novas (e não muito intuitivas), e lembre-se das coisas que você nem precisou aprender porque não existem no coreano. Já pensou se tivesse que memorizar o gênero de todos os substantivos coreanos? 😉

Quer entender mais sobre a estrutura da língua coreana? Não deixe de acompanhar a nossa série de Gramática do Coreano para ficar por dentro!

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.